Escrito em por , na categoria Cidades e Comunidades Sustentáveis, Consumo e Produção Sustentáveis, Indústria, Inovação e Infraestrutura, Parcerias e Meios de Implementação, Vida Terrestre.

Silvicultura, ciência que estuda as maneiras naturais e artificiais de explorar as florestas

Silvicultura é a ciência que estuda as maneiras naturais e artificiais de restaurar e melhorar o povoamento nas florestas, para atender às exigências do mercado. Este estudo pode ser aplicado na manutenção, no aproveitamento e no uso consciente das florestas.

Podemos divida-la em clássica e moderna. A clássica envolve as florestas naturais, buscando forças produtivas provenientes dos sítios ecológicos, e as restrições são determinadas pela necessidade de não prejudicar a estabilidade natural do ecossistema. Já a moderna, entende a floresta como uma fonte comercial exploratória, de forma autônoma e mantida artificialmente.

No entanto, o objetivo central de ambas as classificações é a produção de madeira.

O manejo de ambas as culturas necessita da participação de técnicos de diversas áreas, como Engenheiros Agrônomos, Biólogos, Engenheiros Florestais e tantos outros.  Porém, destaca-se que a a silvicultura moderna não tem apenas a finalidade de produzir madeira, mas também serviços e bens.

Dentro da silvicultura, espera-se que seu manejo seja de forma sustentável, como prevê a Legislação do Código florestal (LEI Nº 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012.) Artigo 3 inciso 7, configura manejo sustável sendo a administração da vegetação natural para a obtenção de benefícios econômicos, sociais e ambientais, respeitando-se os mecanismos de sustentação do ecossistema objeto do manejo e considerando-se, cumulativa ou alternativamente, a utilização de múltiplas espécies madeireiras ou não, de múltiplos produtos e subprodutos da flora, bem como a utilização de outros bens e serviços;

Novo Código Florestal Brasileiro

O Novo Código Florestal Brasileiro (LEI Nº 12.651, DE 25 DE MAIO DE 2012.) possui dois capítulos voltados a exploração florestal. Sendo o capítulo sete (VII) para maiores regulamentações quanto a exploração florestal de fato. Enquanto o capítulo oito (VIII) apenas se atem ao controle da origem dos produtos oriundos dessa extração.

Além do Codigo Florestal Brasileiro, outras legislações referentes a outros biomas, que possivelmente podem desempenhar função de silvicultura, são existentes e necessárias para a legalidade da ação. Como por exemplo a lei 11.428 de 2016 para a Mata Atlântica, assim como a lei 13.550 de 2009 para o Cerrado Paulista.  Com especificidades para essas localidades.

FSC e Madeira Legal

‘Legalizada’ é o termo o qual significa que a extração é autorizada por órgãos ambientais apresentando assim o Documento de Origem Florestal (DOF). No entanto, essa “legalização” não determina que a retirada da madeira não afeta o ecossistema. Essa segurança só é dada pela certificação, que garante o menor impacto socioambiental possível no processo de extração.

A certificação, em âmbito mundial e nacional pode ser feita por FSC e Madeira legal.

FSC, Forest Stewardship Council (Conselho de Gestão florestal, em uma tradução livre) é um órgão não governamental que promove o manejo florestal sustentável a nível mundial. Por meio de seu sistema de certificação, o selo FSC reconhece a produção responsável de produtos florestais, permitindo que os consumidores e as empresas tomem decisões conscientes de compra, beneficiando as pessoas e o ambiente, bem como agregando valor aos negócios

O selo Madeira legal é concedido pela SIMA (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo) para empresas com sede ou filial no Estado de São Paulo, que comercializam produtos e subprodutos florestais de origem nativa da flora brasileira de forma responsável. A obtenção dessa certificação, traz a empresa, ao produtor e a sociedade, inúmeros benefícios como, a Contribuição para a proteção das florestas nativas, destaque no mercado como empresa comprometida com o meio ambiente e maior valor agregado ao produto

Como encontrar produtos certificados?

Muitas vezes sabemos da importância da certificação e do valor que o produto promove em a cadeia produtiva envolvida para a obtenção da certificação. No entanto, na grande maioria das vezes o consumidor fica sem ter informações concretas e de credibilidade, certificando se o produto é realmente certificado pelo órgão competente.

Pensando nisso, e também com um caráter de confiabilidade no seu trabalho e transparência com a sociedade o FSC possui um site específico, com um banco de dados, com todas as instituições que possuem a certificação ativa e o produto que se é comercializado. Sendo esse banco de dados a nível global.

No site, o internauta pode selecionar o país, a empresa e o produto que se deseja verificar a certificação.

No entanto, a grande maioria das pessoas já consome produtos que possuem esse tipo de certificação em seu cotidiano. Como por exemplo, os artigos de papelaria, como lápis de colorir e cadernos. Além de embalagens de produtos cosméticos e de perfumaria.

A adoção do consumo de produtos que possuem esse selo pela população deve ser cada vez maior, trazendo assim, benefícios a escala macro e não apenas ao círculo produtivo e restrito de determinado produto.

Assim como o FSC, o selo de madeira legal, possui um banco de dados no site da prefeitura de São Paulo que mostra todas as empresas envolvidas e certificadas em seus produtos e subprodutos.

Para saber mais sobre o assunto, você pode acessar os sites das instituições que promovem a certificação, como o FSC e o Selo Madeira legal Além disso, você pode ser o Código Florestal na íntegra aqui.

Esse é um conteúdo original BiO3. Para comentário, sugestões e criticas entre em contato por aqui.