Escrito em por , na categoria Cidades e Comunidades Sustentáveis, Consumo e Produção Sustentáveis, Energia Limpa e Acessível, Indústria, Inovação e Infraestrutura.

Recentemente a plataforma SAI (Sustainable Agriculture Initiative Platform) reconheceu oficialmente o Programa ELO, um dos atuais padrões de produção sustentável, da Raízen, empresa integrada de energia, validando internacionalmente o compromisso da companhia com um modelo de produção socialmente justo e ambientalmente correto.

Criado em 2014, o Programa ELO é uma iniciativa voluntária inédita na cadeia produtiva de cana-de-açúcar no mundo. Este, visa promover o desenvolvimento sustentável junto aos seus produtores de cana, certificando-os com 34 critérios de sustentabilidade ambiental, social e econômica. Tem como objetivo engajar os fornecedores de cana na adoção progressiva de medidas que incentivem a promoção da sustentabilidade econômica, o respeito ao meio ambiente, aos direitos humanos e trabalhistas.

O nome do programa indica o trabalho de fortalecimento dos elos da cadeia de fornecimento da Raízen, integrada majoritariamente por produtores de cana. Portanto, busca melhoria contínua dos fornecedores da commodity, considerando boas práticas, sustentabilidade econômica, ambiental e social, preocupação com as exigências do mercado e com a redução de riscos. Além disso, trata da continuidade do negócio e proteção da imagem do fornecedor e da Raízen.

A atuação da biO3

Contudo, pode-se observar que o ELO apresenta semelhanças em princípios e objetivos com outros padrões focados em sustentabilidade, como o padrão de certificação Bonsucro. Assim, através do trabalho de consultoria da biO3 meio ambiente e sustentabilidade, a comparação entre os dois padrões foi realizada, seguindo o protocolo de benchmarking da Bonsucro, para devido alinhamento e avaliação do nível de aderência entre os esquemas de sustentabilidade. O alinhamento pode se apresentar em três níveis, básico, intermediário e abrangente, indicando o quão comparável o esquema é com o Padrão de Produção Bonsucro. Concluiu-se que os dois esquemas em questão demonstraram um alinhamento intermediário.

Portanto, com o reconhecimento do ELO e comparações com outros esquemas de sustentabilidade no setor sucroenergético, aumenta-se o destaque para o tema de desenvolvimento sustentável. Gera-se incentivo a adoção de práticas sustentáveis para os produtores de cana-de-açúcar, e fomento a criação de padrões de produção sustentáveis, visando alinhar com grandes esquemas e mobilizando produtores para uma cadeia cada vez mais sustentável.

Esse é um conteúdo original biO3. Para mais informações sobre padrões de produção sustentáveis, críticas e sugestões, entre em contato conosco.